quarta-feira, 13 de julho de 2016

Atualização 2016 07 13

Feira do Livro

         
             Com o objetivo de estimular a leitura, aconteceu de 01 a 09 de julho, na Avenida Beira-Mar, a Feira do Livro São José – 2016, evento promovido pela Câmara Catarinense do Livro com realização do Instituto Ousar Ilha Mágica Eventos. A Fundação Catarinense de Educação Especial esteve presente realizando apresentações culturais.


            A Capoeira da FCEE levou oitenta (80) alunos, divididos em dois períodos na quinta-feira (07/07), e proporcionou muita emoção aos visitantes da Feira do Livro. Segundo Mestre Tuti, responsável pelas aulas de Capoeira na FCEE, “as apresentações externas são grandes oportunidades de mostrar o trabalho desenvolvido dentro da FCEE e de provar a eficácia da Capoeira como instrumento de educação, reabilitação motora e socialização.”

Passagem da Tocha Olímpica

            Na última terça-feira, 12 de julho, a Tocha Olímpica passou pelo município de Biguaçu e a recepção contou com a participação dos alunos de Capoeira da Associação Cultural Capoeira na Escola.
            “Esta é a 1ª Olimpíada da América do Sul e poder participar deste ato tão simbólico com os alunos é fazer parte de um momento histórico muito importante para o esporte mundial. O esporte é paz, é rivalidade saudável, está acima de conflitos políticos e ideológicos”, afirma Mestre Tuti.
            A chama olímpica é uma homenagem aos gregos da antiguidade que inventaram os Jogos originais e que tinham uma adoração pelo fogo. Sempre é acesa meses antes dos Jogos com a ajuda do sol em Olímpia, na Grécia, nas ruínas no templo de Hera. De lá, é levada até o país onde acontecerá o evento para ser conduzida em um percurso que termina no Estádio Olímpico, onde é acesa a pira. Na era moderna, a tocha é usada desde a edição de 1936, em Berlim.




Encontro de Graduados

O próximo encontro de graduados do Projeto Capoeira na Escola será no dia 23 de julho e será composto por dois momentos. No primeiro, das 14h às 15h30, o atleta de powerlifting, Dheiwid Kaihori, descreverá a sua rotina de treinos e dará orientações sobre a importância da musculação como auxiliar nos diferentes tipos de modalidades de lutas. A segunda parte do encontro, das 15h30 às 17h, será um laboratório de estudos de projeções e quedas com o especialista Bruno Bastos Venâncio.

A atividade será na Academia Move Fit, Barreiros, São José.

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Atualização 2016 06 30

Aniversário de Capoeira
Início dos anos 90: André, Getúlio, Banana, Mestre Pop, Tuti, Bacana e Abusado

Dia 30 de junho de 1989, numa academia minúscula no Bairro Procasa, recém inaugurada, eu (Tuti) e três amigos iniciamos a prática da Capoeira com Mestre Pop. Determinados movimentos para poderem ser feitos exigiam que dois dos alunos aguardassem do lado de fora olhando pela janela. A continuidade ali foi impossível por não ter as condições ideais para um bom aprendizado; então, passamos a treinar no SESC da Prainha-Fpolis.
De lá pra cá - em diversos locais de treino, eventos, rodas, viagens a uma infinidade de cidades etc. -, são vinte e sete anos de muitas alegrias, poucas tristezas e muito aprendizado. Agradeço a todos que fizeram parte de minha história até aqui.

Capoeira Olímpica?!

Nos anos em que acontecem os Jogos Olímpicos ressurgem as discussões sobre a inserção da Capoeira como esporte olímpico. Ainda mais agora que estamos às vésperas de uma Olimpíada ocorrer no Brasil. De todas as formas que eu posso, argumento sobre a diminuição da nossa Capoeira caso ela se torne olímpica e até rezo para que isso não aconteça. Como alguém poderá ser condecorado com a medalha de ouro sendo a Capoeira formada por diversos aspectos? Se depender de mim, ela permanece como está, muito bem, por sinal.
Alguns defensores da Capoeira Olímpica argumentam que a multidiversificação que a compõe está dilapidando o seu acervo cultural e que, caso não seja fortalecida a face esporte, a Capoeira definhará. Esquecem-se eles de que a "multidiversificação" é a verdadeira riqueza da Capoeira, e o que a fará definhar e criará outra manifestação é a sua esportivização única e exclusiva.
A Capoeira é, em sua essência, empírica, afina-se com o popular, com a cultura de rua, com os guetos e vielas. Eu estou em consonância com esse perfil mesmo tendo me infiltrado no meio acadêmico e conseguido alguns títulos. Portanto, tenho conhecimento de causa no empírico e no científico. Por isso, não consigo imaginar numa suposta disputa olímpica um capoeirista fazendo uma chamada aberta de frente (só quem é Capoeirista entende). Incomensurável sob qualquer aspecto.

Por: Mestre Tuti




quinta-feira, 23 de junho de 2016

Atualização 2016 06 23

Tocha Olímpica


            A tocha olímpica passará por Biguaçu e a Associação Cultural Capoeira na Escola será uma das recepcionistas. Será no dia 12 de julho.

Próximas atividades

24 de junho: Roda/treino de Capoeira Regional com Professor Hiena, às 21h, no Centro de Artes Marciais de Biguaçu (CAM);
25 de junho: Participação de Mestre Tuti na reunião do Colegiado de Mestres de Santa Catarina, em Joinville;
01 de julho: Roda/treino com Graduado Baianinho, às 21h, no Centro de Artes Marciais de Biguaçu (CAM);
07 de julho: Apresentações de Capoeira na Feira do Livro, às 10h e às 15h, na Av. Beira-mar de São José;
08 de julho: Roda/treino de Capoeira Regional com Professor Corcel, às 21h, no Centro de Artes Marciais de Biguaçu (CAM);
09 de Julho: Roda oficial do Projeto Capoeira na Escola na Praça de Biguaçu, às 15h;
16 de julho: Encontro de Graduados.

Cruzar os braços e reclamar ou você vai ser a revolução em pessoa?

“Não se acostume com este cotidiano violento porque essa vida não foi feita pra você. Você foi feito pra correr nos campos, andar de cavalo, brincar com crianças, cachorros, velhos, flores, natureza, rios, água limpa pra beber. Essa foi a vida que Deus preparou pra você. Mas, o ser humano é ambicioso e estragou tudo! ...
Esse é o caos, esse é o mundo em que você convive hoje, século XXI...
O que você vai fazer pra mudar: Cruzar os braços e reclamar ou você vai ser a revolução em pessoa?...”
Mano Brown