quinta-feira, 16 de abril de 2015

Atualização 2015 04 16

Igualdade (?) I

            Mais um ano para Tiradentes, menos um ano de reconhecimento oficial para Zumbi dos Palmares.

Igualdade (?) II

            Segundo o ativista contra o racismo, sociólogo e economista, professor Marcelo Paixão:
·         os negros brasileiros vivem seis anos menos que os brancos;
·         o número de analfabetos negros é o dobro do número de brancos;
·         a renda dos negros é a metade da renda dos brancos;
·      se desmontarmos os números do IDH, índice do desenvolvimento humano, da ONU, veremos que se o Brasil fosse só dos brancos ficaria na 40ª posição do IDH; o Brasil está na 70ª;
·         mas, se fosse só de negros, seria um país pobre e ficaria na 104ª posição;
·      entre 2003 e 2009, foram libertados 40 mil brasileiros, ou seja, abandonaram a posição de escravos, porque viviam em fazendas sob o regime servil: não recebiam remuneração para poder pagar dívidas impagáveis;
·         desses 40 mil escravos, 73,5% eram negros.

Próximas ações

·         Sexta-feira (17/04), às 20h30, tem roda no CAM;
·         Sábado (18/04), às 10h, haverá apresentação na Igreja do Bairro Saveiro;
·       Quinta-feira (23/04), às 10h e às 15h, sairá ônibus do CAM para apresentação no CEI São José II (FCEE);
·      Sábado (25/04), às 13h, haverá apresentação para a Pastoral do Povo de Rua, na Igreja Matriz de Biguaçu.


terça-feira, 7 de abril de 2015

Atualização 2015 04 07

Exposição de fotos da COMCAP

       Fantástica a iniciativa de Maristela Giassi em fotografar as mulheres que trabalham na Companhia Melhoramentos da Capital (Comcap), responsável pela limpeza da cidade. A exposição está instalada na Biblioteca Pública Professor Barreiros Filho, no Estreito, e vai até o dia 16 de abril, das 8h às 22h.
          A maior parte dos garis do Brasil é formada por negros, o que aumenta a perversa invisibilidade social sofrida por esses profissionais. Isso não é de hoje, pois desde o tempo do Império já eram relegados ao negro os mais insalubres ofícios. Naquela época, a limpeza da cidade era feita pelos cativos que levavam baldes de dejetos humanos para despejar nas fossas. Frequentemente, a urina dos senhores escorria dos baldes e tingia de listras amarelas o corpo negro, o que gerou o pejorativismo da sociedade eurodescendente em chamá-los de “tigres”.
         Num caso contemporâneo de menosprezo aos negros e à profissão de gari, o jornalista Bóris Casoy chacotou dois garis paulistas que desejavam a todos os brasileiros um feliz ano novo. Por conta de um microfone aberto, foram ouvidas as palavras do demagogo jornalista: “Que m…, dois lixeiros desejando felicidades do alto das suas vassouras. Dois lixeiros, o mais baixo da escala do trabalho”.
       Por tudo o que foi dito aqui, a exposição que mexe positivamente com a auto-estima das mulheres da Comcap torna-se imperdível.

Roda

            No próximo sábado, haverá roda do Projeto Capoeira na Escola na Praça Central de Biguaçu, às 16h.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Roda da Vela 2015



A palavra “Páscoa” vem de “Pessach”, que significa “Passagem”. No caso dos judaicos, por conta da passagem dos hebreus pelo Mar Vermelho, sob a liderança de Moisés, o que simboliza a libertação da escravidão no antigo Egito; já para os católicos, representa a passagem da morte para a vida, a ressurreição do grande líder de pele escura e cabelos crespos (sim, ele era o oposto de sua imagem hollywoodiana), Jesus Cristo.
Para o Projeto Capoeira na Escola, a Roda da Vela é uma oportunidade de refletir sobre os conceitos presentes em ambas as versões sobre a origem da Páscoa: escravidão, liberdade, renascimento, liderança, além de exercitar outros sentidos no jogo da Capoeira pelo fato da baixa luminosidade que lembra as senzalas de outrora.
A Roda da Vela iniciará às 20h, na Associação dos Servidores Municipais de Biguaçu (ASMUB), na próxima quinta-feira (02/04/2015). Será servida canjica ao final da roda.