sexta-feira, 21 de junho de 2019

Imersão em Capoeira Regional: Toque de Berimbau - Amazonas


            A Associação Capoeira na Escola passará a divulgar textos, vídeos e breves reflexões com o objetivo de instigar os questionamentos acerca da Capoeira Regional.
            Seguem abaixo algumas considerações sobre o toque de Amazonas.

- Em relação à origem do nome do toque, Mestre Nenel afirma que Mestre Bimba não deixou nada registrado e nem falava sobre as nomenclaturas que usava; mas, certamente, não foi uma homenagem ao Estado do Amazonas;
- Neste toque não há cantigas;
- Raramente era tocado, e as poucas vezes que Mestre Bimba tocava era para uma autossatisfação ou para jogo de capoeiristas veteranos, por ser um toque com uma cadência diferente, portanto, difícil de demonstrar uma harmonia entre jogadores e o ritmo;
- Não era toque exclusivo para jogo de formados (Iúna sim) e nem para recepção de convidados;
- Atualmente, há quem faça uso do toque para jogo com imitação dos movimentos dos animais da floresta amazônica, mas isso não faz parte do trabalho de Mestre Bimba;
- O toque do pandeiro é diferente dos demais toques da Capoeira Regional.



            Inscrições no link: http://bit.ly/capoeiraregional



sexta-feira, 14 de junho de 2019

Arraiá da Capoeira - 2019

A Associação Cultural Capoeira na Escola (ACCAES), em parceria com a Prefeitura Municipal de Biguaçu, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte, Turismo e Lazer (Secetul), realizará o anual “Arraiá da Capoeira”. Trata-se de uma ‘roda junina’ cujo objetivo é a confraternização entre os praticantes e a sociedade com direito a dança da quadrilha, maculelê, capoeira, recreação, comidas típicas e ensaio aberto do boi-de-mamão.
            Este ano, o “Arraiá da Capoeira” será realizado no Centro de Artes Marciais (CAM), no dia 15 de junho (sábado), a partir de 15h. Traga algo para ajudar a compor a mesa e venha a caráter.  
           A participação é livre.


segunda-feira, 10 de junho de 2019

Imersão em Capoeira Regional: Centenário da obra de Mestre Bimba


Em 1918, Mestre Bimba começou a mostrar os primeiros traços de sua obra: a Capoeira Regional, considerada pronta por ele somente em 1928. Até então, a Capoeira era ensinada nas ruas, nos guetos, nos portos, nas festas de largo em que se aprendia olhando. Isso tudo em meio à proibição da prática prevista no código penal.
Já na época da ditadura oficial mais recente, em 1968, Mestre Bimba comemorava as cinco décadas de sua criação. Naquele momento, já havia testado e comprovado a sua metodologia em centenas de alunos; já havia lutado nos ringues para mostrar a eficácia de sua técnica; um disco com toques e cantigas já havia sido gravado por ele; Presidente do Brasil e Governador da Bahia já haviam assistido à Turma de Bimba se apresentar, e, graças a essas apresentações, a Capoeira foi descriminalizada. Portanto, de fato era necessário e justo comemorar o cinquentenário da Regional.
Por conta de Mestre Bimba, a Capoeira ganhou o mundo e se tornou Patrimônio Cultural da Humanidade. Hoje, são mais de 150 países que possuem aulas, treinos e rodas das mais diferentes Capoeiras; no Brasil, em qualquer cidadezinha, de qualquer estado, há alguém jogando ao som do berimbau; mas tudo isso só é possível pela saída da Capoeira do código penal conquistada por Manoel dos Reis Machado, o Bimba. Logo, nada mais apropriado que se comemore o centenário da Capoeira Regional, a obra fantástica de Mestre Bimba.
De forma extensiva às comemorações já ocorridas em Salvador, a Associação Cultural Capoeira na Escola propõe o encontro “Imersão em Capoeira Regional”, a ser realizado nos dias 26 e 27 de julho, em Florianópolis (SC), no SESC da Prainha, e no Espaço Cultural Aruandê, na Armação do Pântano do Sul.
Programação e inscrições no link: http://bit.ly/capoeiraregional


sexta-feira, 7 de junho de 2019

Atualização 2019 06 07


Próximas atividades

            Amanhã (08/06) é dia de roda do Projeto Capoeira na Escola. Será às 15h, na praça da pista de skate (próxima ao campo do Biguá). Em caso de chuva, a roda será no Centro de Artes Marciais (CAM).
            Já no dia 15 de junho, acontecerá mais um “Arraiá da Capoeira”. A roda com trajes típicos de festa junina será realizada no CAM, às 15h. Também haverá comidas típicas, quadrilha, maculelê e ensaio aberto de boi-de-mamão.